Entrevista completa para o ‘The Sun UK’ + Imagens EXCLUSIVAS do Biz Session (2011)

 

Em dezembro de 2011, Amelia concedeu uma entrevista muito legal para o pessoal do Jornal Eletrônico/Portal de Noticiais The Sun UK, falando sobre o seu antigo relacionamento com o ator Colin Farrell, o início da carreira dela como Slow Moving Millie e muito mais! Confira a entrevista completa e traduzida:

Um jovem rapaz é visto com impaciência contando os minutos até o dia de Natal – quando ele pode dar a seus pais o seu presente.

O clipe, para a varejista loja John Lewis (loja de varejo; hipermercado) também possui uma trilha sonora tão tocante como a ação que se desenrola.

Cenas do jovem olhando melancolicamente para fora das janelas e, em seguida, devorando ferozmente sua comida na véspera de Natal são complementados pelos doces e delicados tons de quem que virou as costas para uma carreira confortável nas telas – para torna-se então musicista.

Amelia Warner, que se apresenta sob o nome de Slow Moving Millie, está se dirigindo para o estrelato.

Ela tem aparecido em filmes de Hollywood desde adolescente – destacando seu primeiro grande papel ao lado de  Geoffrey Rush em Quills, quando ela tinha apenas 18 anos.

Meses depois, ela começou um romance com o bad boy de Hollywood, Colin Farrell.

Os dois anunciaram que haviam se casado no Taiti, em Julho de 2001, quando Amelia tinha 19 anos, antes de se separarem apenas quatro meses depois.

Mas falando francamente pela primeira vez sobre o relacionamento, Amelia insiste que eles nunca se casaram oficialmente.

Ela diz: “Nós na verdade não nos casamos – não é realmente verdade. Eu acho que nós fomos  educados demais para negar isso. Tivemos uma cerimônia em uma praia no Taiti que não foi de forma legal e sabíamos que não era.”

“Foi apenas uma coisa que fizemos nas férias. Fomos alimentar tubarões e depois fizemos isso. Nós reservamos ambos no balcão de atividades do hotel.”

“Realmente não foi o tipo de casamento secreto que ninguém é convidado.”

“Foi lindo, bobo, doce, mas de modo algum foi uma coisa séria e acredito que a minha mãe achou bem engraçado.”

Mas, se a cerimônia à beira-mar não foi levada a sério – a relação dos dois foi.

E o termino teve um efeito de longa duração.

Amelia continua: “Foi uma relação muito intensa e apaixonada. Foi de quebrar o coração quando terminou.”

“Eu acho que provavelmente terminou como todos os primeiros amores terminam.”

“Nós éramos realmente jovens e as nossas vidas estavam seguindo caminhos diferentes, foi quase um acidente inevitável que nenhum de nós viu chegando.”

“É uma das coisas mais importantes  que vai acontecer com você, ter seu coração partido – é vital.”

Ela se lembra de como eles se conheceram: “Na época, Colin não era muito famoso. Eu não sabia quem ele era quando eu o encontrei.”

“Eu o conheci em uma premiere em Los Angeles, a de Quills, um filme que eu tinha acabado de fazer.”

“Moramos juntos em Nova York por um tempo, então em Los Angeles e passamos algum tempo em Praga.”

“Vendo o que aconteceu com ele desde então e como a vida de alguém pode mudar tão rapidamente foi tão extraordinário.”

O relacionamento acabou, mas com 19 anos ainda, Tinseltown (gíria para Hollywood) ainda tinha seus encantos.

Amelia continuou conquistando uma carreira brilhante – desde 2005 estrelando ao lado de Charlize Theron em Aeon Flux e então assumindo cada vez mais papéis.

Mas como o passar do tempo, ela começou a perceber que seu coração não estava ali.

A música era sua paixão e ela não conseguia mais disfarçar seu desagrado com uma disciplina em que ela estava prosperando.

“Quando eu estava atuando, não havia realmente qualquer parte disso que eu gostava” ela lembra.

“Para ser um ator você tem que suportar todas as coisas horríveis que vem com junto – as rejeições, as audições, o constante ‘não sendo certo para algumas coisas’, a falta de estrutura – você tem que amar isso como um ofício e eu não amava.”

“Com o amadurecimento ficou mais evidente o que era e o quanto não valia a pena porque eu ainda tinha toda essa porcaria em torno disso. Eu não ia para o set  me sentindo viva e incrível.”

“Eu estava indo para as filmagens e pensando: Quando nos terminamos? Eu quero ir para casa.”

E por mais que ela tentasse esconder – seu desdém para uma indústria que ela estava começando a detestar se tornou evidente para todos.

“Eu ia a vários testes e todos os elencos e produções pareciam sempre os mesmos.”

“Eu sempre ouvi: ‘É como se ela não quisesse isso.’ E você pode dizer que eles estavam certos.”

“Eu conheço pessoas que querem isso e existe uma coisa intangível em seus olhos.”

A gota d’água veio depois de uma série desgastante de audições.

“Eu voei até Los Angeles para fazer um teste para um grande show na NBC na frente de todos aqueles executivos. Eu fiz o teste e depois voei de volta para casa. No dia seguinte, meu agente me ligou dizendo que eu tinha que voltar porque havia um executivo ausente na primeira audição. Então, eu pulei no próximo voo. Fiz a audição outra vez, voltei para casa – e depois eles me queriam lá no dia seguinte. Eu só disse que não. E é isso. Foi há três anos e eu tenho me concentrado na música desde então.”

O primeiro fruto desse trabalho é um álbum composto predominantemente de piano sussurrador e oito faixas regravadas.

O álbum intitulado Renditions apresenta seu cover da banda The Smith de ‘Please Please Please Let Me Get What I Want’, faixa que aparece no anúncio de natal das lojas John Lewis.

Ele provocou críticas veementes de certos cantos da base de fãs obsessivos do cantor Morrissey.

Mas Amelia permanece inabalada até hoje: “Eu sei disso e entendo que os The Smith realmente simbolizam algo para as pessoas e simpatizo com isso, mas eu não fiz nada com a música original.”

“Se as pessoas não gostam de minha versão tanto assim – Eu não estou impedindo-os de ouvir a versão de The Smiths.”

Em outra parte no álbum há grandes baladas estrondosas de The Thompson Twins, Tears For Fears e Yazoo repaginadas de um modo singular.

“Eu acho que os anos oitenta são extremamente subestimados” diz ela. “As pessoas desdenham porque tudo era um pouco ridículo.”

“Houve uma vulgaridade em tudo. Era grande ou alto, uma bobagem ou cheio de postura.”

“Mas eu realmente amo essas músicas. Estou celebrando elas.”

Assista ao Biz Session: Slow Moving Millie – Feels Like Heaven:

Mas ela vê a si mesma mais nova no jovem rapaz angelical da TV?

“A parte em que ele está comendo sua comida muito rapidamente e corre para a cama.” ela afirma.

“Minha mãe me disse que quando eu tinha cinco anos eu fiz algo similar.”

“Eu desci as escadas às 3 horas da tarde no meu pijama e insisti que queria o meu jantar  porque queria ir para a cama. Ela fez o meu chá e, em seguida, me alimentou uma hora depois.”

“Aparentemente eu dormi durante todo o tempo até de manhã.”

 

>> Black & White:

 

>> Slow Moving Millie aka Amelia Warner performs for a Biz Session on December 14, 2011 in London (UHQ UNTAGGED):

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s